lista de compras: Abril 2005

28.4.05

O que dizer, hã? O que dizer?


Cabeleireiro no Chiado, Lisboa
Outubro 2004

- Estava a pensar num corte curto, não sei...
- Curto não corto!
- Mas.... Eu já usei curto muitas vezes!..
- Pois, mas se calhar era mais magra....

Conta: 50 euros

Ginásio em Lisboa
Novembro 2004

- Não tem problemas de coluna ou ósseos?
- Nada de mais. Por acaso agora tenho andado com algumas dores nos joelhos...
- Pois, isso também deve ser do excesso de peso...

Conta: muitas dezenas de euros, ainda pago e não ponho lá os pés

Hospital de Santa Maria, Urgências
Abril 2005

- Mas o que sente?
- Tomei aquilo e fiquei com a cara dormente, não sei se é reacção, até porque muitas vezes acordo com as mãos dormentes, mas isso deve ser porque durmo com o braço debaixo do corpo...
- Claro! Basta estar a prender um nervo. Ainda por cima sendo assim magra, pior....

Conta: 0 euros

27.4.05

A questão essencial...

... é saber quem emprestou a roupa interior ao árbitro do Estoril-Benfica. Será que tinha uma cueca com uma águia ou um boxer azul e amarelo?

Isto é que ninguém escreve, isto é que ninguém pergunta....

26.4.05

Bárbaro!

Ele, cinquentão com ar de engate. Camisa branca, blazer escuro, sem gravata.
Ela, trintona saída com ar de anúncio de um perfume francês. Vestido leve, vermelho às pintinhas brancas, casaquinho preto de malha, óculos escuros.

Descem a Avenida de mão dada. Sorriso aberto. Ela leva duas flores. Uma na lapela, outra na mão direita. Ele só tem uma.

O passo é firme. Os cabelos castanhos dela ondulam ao vento.

Podiam ser um cartaz que diria assim:

Já reparou que Lisboa está mais bonita?*

e por baixo, em letras mais pequenas:

* este sim é que sabe quem é,
vejam lá a gaja boa que arranjou....

EM OUTUBRO VOTE EM NÓS.
TEMOS IDEIAS BÁRBARAS!!!!!!

Bolas!

Eh, pá, não sei o que me deu.

Quase me nasceu um bigode à Zé Manel...

Desculpem lá, mas vai ter de ser...

... ainda que doa.

Sou benfiquista. Lãmpia dos quatro costados. E por isso aqui deixo uma mensagem ao Litos, esse gajo sem tomates que devia era refilar com os dirigentes do clube dele que se venderam às receitas de bilheteira:

- Ó meu, quem vos passou um atestado de merdosos foi o vosso clube. Eles é que quiseram que a equipa não jogasse em casa. Ainda por cima, perderam. Olha a novidade...
- Se tivesses coragem, demitias-te
- Se os jogadores tivessem coragem, recusavam-se a jogar em Faro, mas a verdade verdadinha é que foi uma derrota com sabor a ordenado no final do mês, não é? Ganda Benfica!

PS: Talvez com a receitinha extra possam comprar mais chuteiras para poderem emprestar aos árbitros quando eles precisam...

25.4.05


31 aninhos...

22.4.05

Há títulos e títalos....

Numa leitura do Correio da Manhã em busca de uma notícia sobre o bacalhau (explico mais tarde), encontrei um manancial de títulos, que olhem, eu nem sei.

MEGAFUNERÁRIA ENCOSTA CÂMARA À PAREDE

(ou nos dão um espaço ou levam com um caixão em cima)

JÁ HÁ FUMO BRANCO NO LARGO DO CALDAS

(ao que parece Paulo Portas tinha deixado em testamento quem podia usar as vestes de papa do pêpê)

D. SARAIVA CANDIDATO A CARGO DE RATZINGER

(como o Bento já tem 78 anos, o CM já antecipa quem será o novo papa - isto é que é ter fontes!)

e não encontrei a notícia do Bacalhau....

Mas agora a sério....

Estes sim, seriam os homens que nos fariam dizer Aleluia! e Dio Santo! alto e bom som...

http://donaema.blogspot.com

A Queda e a Ascenção

É estranho que dois alemães estejam nas bocas do mundo esta semana. Ratzinger, o Papa ortodoxo que fugiu do exército de Hitler, e o próprio Hitler, no filme A Queda.

É estranho que todos desejem que Ratzinger se transforme num outro ser, num homem mais aberto, mal vista as vestes de Bento XVI.

É estranho que muitos pensem que Adolfo não era humano, não tinha paixões, compaixões, sonhos, fome, dúvidas, cães.

É estranho que as primeiras palavras de Ratzinger tenham sido contra «a ditadura do relativismo onde nada é definitivo».

É estranho que se fale tanto em totalitarismos, dogmas e valores absolutos nesta semana.

Mas foi também esta semana, que um dos países mais católicos da Europa - a Espanha - aprovou o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

E foi esta semana que um tribunal britânico teve de decidir mais uma vez sobre uma vida humana mantida em completa desumanidade.

Esta semana, mais uma vez, no mundo Ocidental, o relativismo venceu o dogma, os homens venceram Deuses omnipotentes e castigadores, prevaleceu a condição humana, afinal, como sempre.

Hitler não resitiu, enlouqueceu, perdeu, matou-se. Mas Hitler não era um extraterrestre, era um homem. Só que era um homem sem dúvidas, que alcançou um poder tal que deixou de permitir relativismos, ainda que relativo fosse a cor do cabelo, o sobrenome, a religião.

Como pode Ratzinger dizer que o cristão deve ser defendido dos intelectuais? Dos homens que pensam? Deixar de pensar é deixar de existir.

Hannah Arendt, judia, filósofa, que chegou a ser rotulada de anti-semita por dizer que Eichmann era um ser humano, escreveu isto na sua obra A Condição Humana:

A suposição de que a identidade de uma pessoa transcende, em grandeza e importância, tudo o que ela possa fazer ou produzir é um elemento indispensável da dignidade humana. (...) Só os vulgares consentirão em atribuir a sua dignidade ao que fizeram; em virtude dessa condescendência serão «escravos e prisioneiros» das suas próprias faculdades e descobrirão, caso lhes reste algo mais que mera vaidade estulta, que ser escravo e prisioneiro de si mesmo é tão ou mais amargo e humilhante que ser escravo de outrem.

O que terá Bento XVI a dizer sobre isto?

Ratzinger vs Bento XVI, a questão continua

A questão continua a ser: por que razão é que os bons nunca ganham? É que se podemos não ter muito a perder com um Papa ortodoxo, poderíamos ter tudo a ganhar com um Papa mais aberto e sensível. Um Papa que se preocupasse mais com as pessoas do que com as pratas e os ouros polidos do Vaticano, que aceitasse o casamento dos padres, a igualdade entre homens e mulheres, and so on, and so on. Ah, e que começasse a preocupar-se mais com os milhares de mortos com HIV em África do que com as quecas sem fins procriativos. Afinal, a Igreja prefere que nasçam todos os dias crianças sentenciadas de morte do que as pessoas tenham relações sexuais com preservativo.
Afinal, parece que faria alguma diferença, não é?

21.4.05

Ratzinger, para vocês também!

Estava a dormir uma sesta quando comecei a ouvir que estava a sair o bendito fumo. Mal sabia toda a gente que era mesmo Bennedetto fumo. Era branco, mas depressa os céus de Roma escureceram quando o homem, o novo Papa, apareceu à janela.

O Espírito Santo - acreditam muitos - escolheu este alemão como representante de Deus no Mundo. Houve quem tivesse assobiado, houve quem tivesse abandonado a Praça de S. Pedro.

Os mais politicamente correctos disseram esperar que Ratzinger mudasse assim que encarnasse em Bento XVI. O homem já mudou antes, é verdade, e nem foi preciso alterar o nome, bastou que lhe alterassem o cargo.

Joseph Ratzinger era um progressista que espantou o Concílio Vaticano II, onde criticou duramente a Congregação que mais tarde viria a dirigir. A inquisição dos tempos modernos, diga-se. Sem fogueiras, mas com excomunhões e delitos de opinião.

João Paulo II convidou-o mais tarde para se juntar a ele no Vaticano. E Ratzinger passou de progressista a ortodoxo. De crítico a inquisidor. Pode ser que tivesse sido apenas um meio para atingir um fim: chegar a Papa.

Quem sabe se agora Bento XVI não será, afinal, a encarnação daquele homem de 31 anos que falou no Concílio Vaticano II.... Talvez já não....

16.4.05

Time for a break. My life is like this:


Foto: Edla Pires

12.4.05

E já agora...

Rititi, sei que te chamam alguns nomes feios (a mim também, pelos vistos), mas há coisas que uma mulher tem de dizer. E como eu não disse e tu escreveste-o, vou blogar aqui um excerto do teu post:

«Afinal, que importa que a mulher possa votar e encomendar comida chinesa, pagar prostitutos e vibradores vaginais, de que serviram as manifestações sufragistas e os abortos clandestinos, se o papel social, o que ainda nos impõem as púdicas normas do condomínio mental em que vivemos, está fixado desde que Maria engravidou sem penetração. A santidade não vem pelas obras feitas ou o amor ao próximo, mas sim pela falta de fodas bem dadas.»

Virgens Marias dos Partos (e da maternidade) Séc. XXI

Para quem achou que sim, para quem achou que não, para quem ficou indignado, para quem estiver interessado no assunto, recomendo uma leiturinha do livro (ou do texto que saíu na Newsweek sobre o mesmo) «Perfect Madness», de Judith Warner. Esta senhora faz uma análise das mães do século XXI, ou, como diz a revista, tenta perceber «What happened when the girls that had it all became mothers?»

http://www.msnbc.msn.com/id/3032542/site/newsweek/

11.4.05

Tirei o verniz vermelho das unhas, pus uma camisa branca, pedi um casaco a roçar o blazer emprestado. Parece que é hoje....

10.4.05

GRANDE SANDRA! PARABÉNS, AMIGA!


Fotografia vencedora do prémio Visão/BES
Foto: Sandra Rocha

8.4.05

Virgens marias dos partos século XXI

Já não dá mais. Elas são as doulas, elas são as especialistas britânicas que acham que o parto é uma experiência sexual, elas são aquelas que não quiseram anestesias e que por isso se sentem melhores que as outras, elas são as que queriam mas não deu para terem e agora são supermulheres, elas são as gajas que parem em posições de yoga, as que parem com acupunctura (que apesar de anestesiar não é droga....), elas são as puras, as Virgens Marias dos Partos do século XXI.
Depois disto, elas são as que ficam em casa e prescindem das carreiras a tomar conta dos filhos e por isso são as novas heroínas, elas são as que nunca deixaram um bebé de nove meses uma semana para irem curtir com o marido para outro lugar, elas são as que amamentaram até que as mamas lhes chegassem ao umbigo e a criança já soubesse escrever o nome.

Elas podem ser isso tudo. Deixem é de falar e escrever como se as outras que tiveram os filhos sem pontinha de gritaria, meditação, agulhas espetadas nos olhos ou coisa que o valha sejam, coitadas, umas «tristes ignorantes que não sabem o que é ter um filho».

Uma vez arrancaram-me um dente sem anestesia. Acho que vou criar uma associação que ajude todas as pessoas a superar a dor da broca e do alicate e a passar por essa experiência como uma dádiva, ou até mesmo uma experiência sexual. Isto, no caso de o dentista ser um gajo giro....

Uma questão de equilíbrio....

"No mistério do Sem-Fim,
equilibra-se um planeta.
E, no planeta, um jardim,
e, no jardim, um canteiro:
no canteiro, uma violeta,
e, sobre ela, o dia inteiro,
entre o planeta e o Sem-Fim,
a asa de uma borboleta."

Cecília Meireles

O Jaime hoje equilibrou-se e andou. Andou!
Agora, minha borboleta, já podes voar!

7.4.05

Aqui está o nosso homem!


Comprar: respostas na ponta da língua

Às vezes acho que a idade me retirou este, como direi, atributo. Como o Lucky Luke era mais rápido que a sombra a puxar do gatilho eu era assim a responder. Pronta e certeira. Língua afiada. Mas fui amaciando. De tal maneira que no outro dia saí do cabeleireiro a parecer um piaçaba e com menos 40 euros no bolso e só consegui passar as horas seguintes a chamar filha da puta à gaja que me fez aquilo enquanto lavava e lavava o cabelo que demorou um mês a voltar ao normal. Puta.
Mas a verdade é que não lhe disse nada. Estou a ficar lenta, é o que é. E isso tem custos. No meu caso, em vez de me arrepender por ter dito uma grande bacorada e injustiçar alguém por ser brusca, acabo por pagar por ter andado a remoer nas coisas. Mas só agora é que dizes isso?, respondem-me.

É por isso que esta manhã, ao ler a crónica do Lobo Antunes na Visão, decidi que vou treinar e aperfeiçoar a rapidez da resposta, o ataque mortífero em menos de um segundo, a estalada que se sente antes de se ter visto o alçar da mão. Até porque o Lobo Antunes - genialidade (a dele) à parte - tem idade para ser meu avô e é rápido a disparar.
Ora vejam lá se não é:
Estava ele em Paris, não se sabe bem onde, quando lhe apresentaram um alto funcionário, «desses com a Roseta da Legião de Honra na lapela». O homem pensava que o Lobo Antunes era espanhol e ao ficar a par da verdade.....
« -Português, que engraçado.
A minha mulher-a-dias é portuguesa.»
Respondeu o Lobo Antunes, diz ele, «naturalmente»:
« -Você é capaz de não dar um mau mordomo»

Isto é que é, meus amigos. Não é sair do vernissage com uma azeitona entalada na garganta e a mandar o francês levar no cú...

6.4.05

Basta um dia....

Letra de Chico Buarque

Pra mim
Basta um dia
Não mais que um dia
Um meio dia
Me dá
Só um dia
E eu faço desatar
A minha fantasia
Só um
Belo dia
Pois se jura, se esconjura
Se ama e se tortura
Se tritura, se atura e se cura
A dor
Na orgia
Da luz do dia
É só
O que eu pedia
Um dia pra aplacar
Minha agonia
Toda a sangria
Todo o veneno
De um pequeno dia

Só um
Santo dia
Pois se beija, se maltrata
Se come e se mata
Se arremata, se acata e se trata
A dor
Na orgia
Da luz do dia
É só
O que eu pedia, viu
Um dia pra aplacar
Minha agonia
Toda a sangria
Todo o veneno
De um pequeno dia