lista de compras: Junho 2006

28.6.06

Da bola

Eu sei que nos últimos tempos este blogue tem tido muita bola. Ele é ânsias, ele é vitórias, ele é esperança, ele é vingançazinhas, golos, jogadores.

Todos os dias, porém, também se lê a prosa de quem, não gostando de futebol, passa o tempo a falar de futebol, desde que começou o mundial. Que somos uns terceiro-mundistas, que o país não pensa noutra coisa, que se anda feliz e contente nas ruas e depois a saúde e a educação estão como estão, blá, blá, blá, rebéubéu pardais ao ninho.

Ora portanto temos aqui uma série de pessoas que, não gostando de futebol - o que é um direito, pode ser defeito, mas é um direito - acham que os outros também não deviam gostar. Porque não. Porque aliena. Porque é um exagero. Porque é um jogo com 22 gajos a correr atrás de uma bola. Porque mostra como o país é atrasado. And so on, and so on.

Meus amigos, vamos lá esclarecer uma coisa: quem não gosta, não come. Não quer ver? Não veja. Não quer festejar? Não festeje. Assim como assim, também não estou a ver ninguém incomodar-se com o trânsito no Marquês à meia noite de domingo - a não ser talvez o Vasco Pulido Valente que na noite das marchas quis passar pela avenida da liberdade e não conseguiu, o que o levou a dizer cobras e lagartos das marchas. Eu também não gosto, mas também não me passaria pela cabeça ir para a av. da liberdade no dia de Santo António.

Qual é o problema de isto ser uma alegria passageira? Qual é o drama? Devíamos antes todos andar a bater com a cabeça nas paredes, depois de termos pensado profundamente no assunto e chegarmos à conclusão que o futebol é só futebol e que a nossa vida é uma merda por isso não vale a pena ficarmos contentes por umas horas porque depois tudo volta ao mesmo.
Além disso, o mais certo é Portugal ser eliminado antes da final o que vai fazer com que se fique triste e por isso não vale a pena ficar assim tão alegre só porque estamos nos quartos. Bahhh!

Que gente sem graça, é o que vos digo. Querem ser infelizes sempre? Sejam, who cares.... Mas deixem o pessoal curtir à vontade e esticar bandeiras e ficar sem voz e apitar e dizer muita asneira e gritar que Portugal é que é.

Deixem lá que amanhã já estamos tão chatos como todos vocês.

Desculpem lá....

mas ainda não vou arrumar as botinhas....

25.6.06

Verdade verdadeira....

foto em www.marca.es


... é que a Nossa Senhora do Caravaggio deve estar toda suadinha!

24.6.06

O problema é que não ando com paciência para nada.

Na cabeça matuta todo o dia o cabrão do na-na-na-na-na da SIC e mais o hino da TSF e ainda me ofereceram um CD com mais outro hino da Rádio Comercial que consegue ser o pior de todos - sim, fui estúpida ao ponto de pôr aquilo a tocar.

Já não posso mais com verde e vermelho e as putas das bandeiras por todo o lado, que fazem com que o Jaime passe o tempo a dizer «olha ali outo Putugáli, mãe!» - voltem músicas do Sérgio Godinho estão perdoadas!!!!

No único dia que podia ir à praia estava um tempo de merda. Almocei, dei meia volta e fui embora.

É sábado e estou a trabalhar.

A TPM atacou outra vez em força.

Valeu o Cosmopolitan de ontem à noite, que me subiu à cabeça que nem flecha, mas que depois me deixou ainda com mais sono do que já tinha.

E agora perguntam os estimados leitores: para que raio é que nos chateias com tanta porcaria?

Pois, eu bem disse que era melhor não escrever...

14.6.06

Sinceramente...

Como é que alguém pode dar a nacionalidade portuguesa a uma pessoa que não sabe o hino? E ainda por cima em ano de Mundial?

Vai-se a ver, e a senhora nem sequer tinha uma bandeira à janela!

13.6.06

Meus amigos...

A MAGIA COMEÇA HOJE!

9.6.06

Pharrel rules!!!!



Foto Manuel Lino, IOL

Can I Have it Like That?

You got it like that!

8.6.06

Pure Cult

Foto www.iol.pt

Quando cheguei já os Editors tocavam. E tocavam bem. Mas ainda era de tarde, o sol ainda estava muito forte, pouca gente, a coisa não estava bem quente.

Seguiu-se dEUS. Confesso que não sou grande adepta do rock belga, mas da fila do multibanco pareceu-me que o som estava bem bom. Ao contrário das máquinas para levantar dinheiro, que deram o berro e fizeram uma fila interminável, que acebi por abandonar depois de uma alma caridosa me ter emprestado dinheiro.

Pensei ir jantar durante os Cult. Gajos velhos, pá, já não se devem aguentar nas canetas.... Expectativa zero. Mas depois vinham os Keane e por isso o jantar podia ser feito a melhor hora. Escolha acertada. Os Cult entraram e foi o delírio. Grande som, as letras afinal estavam todas escondidas lá no fundinho da memória, o vocalista, ainda que completamente desfigurado - ele que chegou a ser um sex symbol - aguentou-se. Acho que até ele estava espantado com aquele entusiasmo todo.

Jantar. Uma hora de seca a ouvir os Keane, que parece que pegaram em três músicas e as tocaram vezes sem conta até perfazer o tempo de um concerto. São um grande sono.

As pernas já doíam, as costas também, mas lá me aguentei para ver os cabeças de cartaz da noite. Franz Ferdinand. Os Fernandos foram do caraças. Do caraças.

Resta dizer que se estacionou bem, demorou um bocadito a sair de lá, mas nada de grave, não havia bicha para a comida, cervejola da boa e com fartura.

O mistério da tenda VIP

Por acaso tinha uma pulseirinha que dava acesso à zona de imprensa que era também o que se chama de zona VIP. Sinceramente, não entendo aquela fauna que por lá pululava. A fauna dos gajos que aparecem no 24 Horas e na Nova Gente e nos programas de televisão, mais a Maya. A Maya, pá, não falha. E acho que percebo porquê.

Afinal, a senhora deve ser o elo de ligação, o toque caseiro, a anfitriã de todos os eventos, para que aquela gente se sinta toda bem. Porque realmente eles estavam ali como se estivessem no Buddha Bar, ou na inauguração de um restaurante qualquer.

Passeavam-se na relva a comer uma comidinha chocha, tiravam fotografias e muito raramente subiam à varanda para ir ver «o que se passava». O que se passava com aquele povo todo, sei lá, que além de gostar de música e concertos, ainda comprou bilhete e teve de pagar para comer e essas coisas horrorosas que o povo faz.

Mas por que alminha é que esta gentinha toda - e são sempre os mesmos - é convidada para estas coisas? Para quê? Serve quem?

Ultrapassa-me. Juro que me ultrapassa.

6.6.06

Vou comprar!


É verdade sim senhora, há um novo livro da gaja que eu quero ser quando for grande. É este e vou comprá-lo hoje na Feira do Livro. Yes!

Se eu sou esta selecção....



Acima de tudo...estilo, é o seu lema. Até pode perder, mas é sempre com pose. Se ganhar não é muito espalhafatoso, gosta de ser olhado com respeito e alguma reverência, gosta que lhe elogiem a táctica, como se ela saísse de um oráculo sagrado qualquer. Sempre atento á moda, gosta de se sentir capaz de conquistar o mundo, e se por acaso não o consegue você amua e diz que a culpa não foi sua! Entre o glamour e o complexo calimero, você é a chamada rica prenda!!!!

Então posso ser este jogador.....

5.6.06

Agenda

Assembleia da República altera ordem de trabalhos por causa do jogo de Portugal contra o Irão no Mundial de Futebol.

- ao mesmo tempo, discutem a aplicação de quotas para as mulheres que têm mais que fazer do que começar o dia às três da tarde e terminá-lo às onze da noite. Mas prioridades são prioridades e o futebol sempre foi mais importante que os horários das creches.

Por falar em prioridades, folgo também em saber que o PSD vai propor a criação do Dia Nacional do Cão. Eu que nunca gostei de gatos não fico ofendida pelo esquecimento em relação aos felinos... Devo dizer aliás que muito me consolou ler esta notícia, porque um partido que perde tempo com um assunto destes só pode ser um partido de um país onde tudo funciona tão bem que têm de inventar coisas com que se preocuparem.

Assim sendo, bom Verão para todos! Viva o Figo e o cão dele se o tiver!