lista de compras: Janeiro 2006

28.1.06

Agora que ultrapassei o trauma dos tweenies....

.... ando a cantarolar isto. Sabe-me bem.


A ÚLTIMA SESSÃO

Come umas cerejas que são boas
Vamos ver o filme que hoje passa
Hoje não há sombras da desgraça
Hoje nem morreram nem pessoas

Só no filme há sangue verdadeiro
já que a verdade é coisa enganosa
só na vida há sonhos côr-de-rosa
só na noite o amor é curandeiro

Não há nem resposta p'rá pergunta
será que a paixão agora finda
será que de amor se move ainda
e assim o desenho à cor se junta?

Será que finda
será que ainda
temos enredo
pra tanto gosto
pra tanto medo
pra tanto susto

a vida é um doido brinquedo

La fora os obuses não descansam
vão em busca das realidades
negra é a madrugada das cidades
quando os vivos com os mortos dançam

A guerra, é puxar só por um fio
e enrola o novelo no soldado
passa do papel ao empedrado
junta a tinta e o sangue num só rio

Busca a caixa negra dos amores
estão lá todas as frases em saldo
o vermelho-cinza do rescaldo
e o vermelho– fogo multi-cores

Será que finda
será que ainda
temos enredo
pra tanto gosto
pra tanto medo
pra tanto susto

a vida é um doido brinquedo

Come umas cerejas. O que sentes?
morde com ciência e com afinco
conta pelos dedos de um a cinco
quantos são na terra os continentes?

Pássaros de ferro cruzam ares
largam suas unhas nos países
pelas ruas riscam cicatrizes
e nos jardins desenham só esgares

Será que finda
será que ainda
temos enredo
pra tanto gosto
pra tanto medo
pra tanto susto

a vida é um doido brinquedo

Vimos todo o filme de rajada
sempre de olhos postos no desfecho
do happy-end, eu nem sequer me queixo
só que a vida é mais emaranhada.

Sérgio Godinho, in Lupa

23.1.06

Mariani, sweet, Mariani

Querido diário:

Ontem foi um dos dias mais felizes da minha vida. Foi de tal maneira emocionante que até me esqueci do lencinho em casa e não o pus a tapar o ombro como gosto.
A manhã acordou esplendorosa, e tal como disse o Aníbal, estava um sol maravilhoso, um sol que todos os portugueses deviam aproveitar. Eu gosto tanto quando ele fala assim, quase parece o Camões num dos seus cantos dos Lusíadas - não sei porquê mas nunca consegui decorar quantos tem.

O Aníbal vestiu o fato domingueiro, arranjei-lhe a gravata, mas parece que o nó não ficou muito bem feito. Pelo menos foi o que disse o Fernando, o Lima, que acabou por lhe ajeitar o nó.

Depois de votarmos e de o Aníbal ter dito aquelas lindas palavras fomos até casa. Pus a melhor toalha na mesa, aquela que comprei em Bilros, e estivemos ali com a família. Só mais tarde nos apercebemos que havia câmaras de televisão apontadas para a janela e o Aníbal até fez uma careta daquelas engraçadas que ele costuma fazer - como quando lhe perguntaram sobre o Santana Lopes - assim que viu que estava a dar na SIC.

Depois às oito da noite vimos as sondagens. Foi uma alegria muito grande, mas um nervoso também. Já não me cabia nem mais um croquete na garganta e a esta altura o penteado que a Mila me fez já estava a dar de si. Fui à casa de banho, pus mais um bocado de laca e ficou óptimo. Bem, ficou óptimo para todos menos para o Fernando, o Lima, que me disse que a partir de agora me vai arranjar outra cabeleireira. E um estilista, ele, o Lima, falou qualquer coisa sobre um estilista.

Brindámos com champanhe, eu bebi só meio copo de Asti Gancia, que aquilo sobe-me à cabeça e fomos até ao Centro Cultural de Belém, uma grande obra do meu Aníbal. Antes de sair de casa ainda vi imagens de Boliqueime, a nossa linda terra, e das gentes que nos apoiaram, ao Aníbal e a mim.

No caminho passámos pelo Palácio de Belém e olha, querido diário, essa foi a grande asneira. Só de pensar em limpar o pó àquela casa toda não preguei olho a noite inteira. Lavar os cortinados, os tapetes, tirar o pó dos sofás, colocar os naperons no sítio certo, ensinar a cozinheira - sim, que eu não estou para comer aquelas coisas esquisitas que se serviam no tempo do Mário Soares e da outra Maria - arear as pratas e ainda por cima arranjar um sítio decente para o quadro do Jorge Sampaio. Uma trabalheira. Ainda bem que a tomada de posse é só daqui a umas semanas, que assim ainda tenho tempo de ir ao Vidal encomendar uns tecidos.

Não sei ainda bem é como vou dizer à Mila que não posso ir lá mais fazer a mise e arranjar as unhas, e muito menos explicar à dona Serzinanda que não vou deixar lá as saias para apertar e subir baínhas.

No meio disto tudo, e durante a viagem, apenas uma coisa ficou resolvida. A placa da VIVENDA MARIANI vai ficar linda ali no meio daqueles senhores de farda e capacete com cabeleira branca. Fica assim tudo num género rústico. Que é, querido diário, como bem sabes, o que eu mais adoro.

Beijinhos, da sempre tua

Maria

E por seis décimas apenas....

.... saiu-nos a fava

19.1.06

Interrompemos esta emissão....

... para dizer que as fraldas estão a metade do preço no Continente.

Porque aqui, pautamo-nos pelo bom serviço público.

17.1.06

Aviso à navegação

Este blogue encontra-se em campanha eleitoral e por isso torna-se imperioso deixar a fotografia do senhor que não quero ver eleito bem visível até ao dia das eleições. Não vá alguém ter dúvidas e assim pode aqui desvanecê-las.

De resto é votar num qualquer que não o senhor aqui de baixo. Ai isso não se faz? Ai é feio votar só por ser contra? Pois isso a mim não me interessa nada.

13.1.06

DEPRESSA!!!!!!


... tragam a fatia de bolo-rei!

Amor é...

Dormir boa parte da noite numa cama de 1, 40 de comprimento e acordar sem dores de costas.... apenas com sono.

10.1.06

Interrogações de ano novo

1. Em quem hei-de eu votar no dia 22, sendo que Cavaco está fora dos meus planos, pelo menos enquanto tiver lucidez, Mário Soares me enerva cada vez que diz ELE ao referir-se a Cavaco, Manuel Alegre ficou de birra e ficaria se fosse eleito durante cinco anos, Jerónimo (sim é só Jerónimo) não convence ninguém, Francisco Louçã também não e Garcia Pereira, enfim, lá está, 0, 2 por cento, mas para que raio....?

2. Que rádio ouvir, se agora ligo a Antena 1 e me parece a TSF?

3. E que jornal ler se o Miguel Sousa Tavares e o Miguel Esteves Cardoso escrevem no mesmo sítio ao sábado, ambos dentro de um saco de plástico? Não podiam estes gajos escrever num pasquim mais em conta no que respeita à relação qualidade/ preço?

4. E que suplemento preferir se o Oliveirinha acabou com o DNA para fazer uma coisa chamada NS, que pretende ser light mas com reportagens, ou isso?

5. Vou aos saldos à Zara ou à Lanidor, visto que a primeira se quer aproximar da segunda (sim, vi uma camisa a 38 euros!!!!!!) e a segunda entretanto achou-se marca de gente rica?

6. Vou ver o Odete (que já me juraram ser do pior) ou o Broken Flowers (que já me juraram ser do pior)?

Ai.... Pelo menos o jantar já está resolvido. Jardineira.

4.1.06

Sempre nos vamos encontrar por aqui...


Foto daqui
... é o que eu acredito.